Os altos e baixos de um sonho.

Os altos e baixos de um sonho.
 
Essa matéria vai ficar extensa.

Olá galera como vão?


Hoje é mais uma matéria de auto ajuda e um pouco sobre a minha historia como desenhista, não é uma matéria prática então vamos lá.

Primeira parte.


A saga começa.


Antes de tudo uma imagem para  pensarmos um pouco.


Você está vivendo seu sonho? 

É uma pergunta que bate em um canto obscuro da nossa cabeça, é aquele momento em que você para o que está fazendo e começa a analisar a sua atitude.

Hoje a matéria vai falar sobre a trilha dos sonhos, não apenas sobre o meu, mas é claro sobre o seu sonho. Afinal eu tenho certeza que mais de 90% dos leitores deste blog perseguem o mesmo sonho: Publicar sua HQ.

 Todos que querem trilhar o caminho de um quadrinista (ou mangaka vocês escolham o termo) começaram com uma influência, isso é geral. A minha maior influência para começar a fazer historias foi um desenho que muitos aqui com toda a certeza nem conhecem.


Dreamstone, ou Pedra dos Sonhos foi uma animação exibida na cultura no ano de 1992 até o ano de 1995 se não me engano, junto com essa serie eram apresentandos outras muitas animações que fizeram sucesso na época.

- Poxa Haw essa serie é inglesa não tem nada a ver com as animações Japonesas.
- Calma ai compadre fã de Oremonogatari ainda tem mais historia pela frente.



A Pedra dos Sonhos foi o início da minha saga como desenhista, eu ainda era um pirralho, mas como eu queria dar outras versões a historia  comecei a criar roteiros com base na animação e fazer uns desenhos, infelizmente não consegui salvar nenhum dos desenhos e roteiros que eu tinha feito (se eu tivesse salvo poderia ter vendido pra um museu sei lá D:)

O tempo passou e essa animação começou a perder a graça pra mim, foi quando eu comecei a ver outras series em outro canal.

Quando era pirralho a internet era apenas um projeto e os computadores ainda tinham tela verde e só usavam linhas de comando, por isso mesmo era muito difícil ter acesso as animações japonesas. 
E na verdade ninguém chamavam animes de animes era tudo"desenho animado".

A Manchete exibiu muitos animes, super sentais e tokusatsu na televisão brasileira, me lembro que era muito difícil sintonizar o canal na minha casa e eu acabava indo ver os programas na casa de colegas.

- A certo então você é um daqueles da época de 90 que foi influenciado por Cavaleiros do Zodiaco.
- Em partes sim, mas na verdade a animação que me influenciou não foi CDZ (Ou Saint Seiya).


 Sim sim a animação que mais me influenciou foi Sailor Moon e não Saint Seiya.

Enquanto grande parte da galera discutia muito sobre CDZ,   eu e mais uma galera que era fã de SM dava muitas risadas, a comédia em  SM   era muito mais atrativa do que a pancadaria gratuita de CDZ. 
(E os gritinhos dos personagens de CDZ eram irritantes demais.)

Depois de Sailor Moon surgiu outra animação que também entrou na minha lista de influências de traço.

(E também foi a melhor dublagem já feito no nosso Brasil)


Yu Yu Hakusho juntou comédia com pancadaria, e como eu já disse a dublagem feita aqui no Brasil ficou ótima, como podem ver eu sempre ia para o lado da comédia, o que importava era dar risada das animações e nem tanto ver as discussões sobre poderes e aqueles mimimis.

É claro que eu assisti CDZ, assim como eu também vi Samurai Warriors , Shurato e entre outros animes que foram do estilo "bishounen in armor" mas... meh num era minha praia ver um monte de homem de armadura se pegando.

E então depois de me matar de rir com SM e Yu Yu o SBT deu as caras na cena dos animes e resolveu exibir a animação que foi o "coup de grace" para eu começar de vez a estudar desenhos e etc.



Magic Knight of Rayearth ou Guerreiras Magicas de Rayearth foi um marco no meu caminho como desenhista, não apenas pela historia ser totalmente diferente daquilo que eu já conhecia (não vou dar spoilers ou comentar sobre o conteúdo da historia pra não estender a matéria) mas por fazer eu buscar mais informações sobre a animação.

Fiquei tão fã de MKR que procurei saber quem era o criador da historia e então descobrir que não era um criador e sim varias criadoras: a CLAMP.

Depois de descobrir quem eram as criadoras de MKR também descobri que existiam os animes com áudio original, que existiam os mangás e muitas outras coisas que em nem imaginava que existiam.

Como eu disse a internet não existia para todos, e era muito difícil conseguir informações sobre as series, sim eu vivi uma época onde Google não existia e para conseguir informações você tinha que garimpar revistas em bancas e sebos e fazer muita amizade com quem também era fã das series. Não tinha essa porcariada de redes sociais. Para você conversar com seu amigo você tinha que ir na casa dele ou telefonar pra ele (não era meu caso pois eu não tinha telefone).

Bem o que houve depois disso, eu tive que parar de desenhar e acompanhar as animações por N motivos, e só pude retomar meus estudos e ver as animações na virada do século, somente no ano 2000 eu pude voltar a estudar e essa foi a época de ouro para quem queria aprender a desenhar antes da internet.



Essa foto é do meu acervo de revistas, em 1999 as editoras começaram a forrar as bancas com revistas sobre Mangá, a internet ainda era algo complicado de ser acessada, e essas revistas eram um oásis para quem procurava informações sobre as series.

O melhor de tudo nessa época é que muitas revistas tinha o tema "Como desenhar mangá" (agora entende o nome deste blog?) e  algumas dessas revistas eram desenhadas pela Denise Akemi que é uma baita profissional. Sem contar também que as revistas eram muito baratas (tem uma aqui que custava R$3,90) resumindo essa foi sim a melhor época para quem queria aprender a desenhar antes da internet dominar todo o cenário.


Todo esse caminho influenciou meu traço, minhas historias e claro minhas escolhas. Vocês talvez se perguntem "Por que você está falando sobre tanta coisa nostálgica?)

Bem vamos entrar na segunda parte desta matéria.

Segunda parte.


A evolução.


Nunca jogue um desenho fora, o desenho é o registro de um tempo que você viveu.



Esse era meu traço no começo, todos nos começamos com desenhos sem  anatomia, sem uma boa definição, enfim uma porcaria, mas apesar de todos os defeitos que esse desenho tem eu ainda guardo ele.

Esse desenho é o meu ponto de partida, sempre que vejo ele eu tenho a recordação de quando comecei a estudar de verdade e o motivo que me levou a continuar desenhando.




 Infelizmente eu não consegui ir muito longe apenas trancado no meu quarto lendo as revistas que eu tinha comprado, comecei a pesquisar e estudar mais sobre o assunto foi quando a internet começou a ficar mais acessível fiz amizades com outros desenhistas e tive criticas duras sobre meu traço, é claro que fiquei chateado com as criticas pesadas sobre meu traço, mas bola pra frente eu não conseguia parar de desenhar e tomei aquelas críticas como um conselho para ter um outro foco com meus estudos.

Finalmente comecei a estudar anatomia de verdade, aprendi sobre proporções, poses e movimentação, estudei, estudei e estudei.

E então...


 É milagres não acontecem, e eu não melhorei meu traço da noite pro dia.

Uma coisa ou outra melhorava cada vez que eu estudava e colocava em PRÁTICA meus estudos meu traço subia um level, as criticas duras continuavam, claro eu ainda não fazia por merecer para ter criticas melhores.

Mas a única característica que um ilustrador/quadrinista/desenhista deve ter é a resiliência.

(A resiliência é um conceito psicológico emprestado da física, definido como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, estresse etc. - sem entrar em surto psicológico.)

Infelizmente não somos maquinas  e não estamos salvos de "um surto psicológico" por isso descordo em parte neste texto acima.

Críticas, falta de reconhecimento, baixo interesse do público, frustrações entre outras coisas derrubam qualquer pessoa, não somente na área de desenho mas em qualquer assunto, infelizmente nos desenhistas ficamos mais afetado pois precisamos estar com a "cabeça boa" pra desenhar.

Tem poucas pessoas que conseguem desenhar/estudar sobre pressão, ou com um sentimento negativo.

O que devemos fazer? Simples continuar desenhando... nada mais.




Continuei desenhando e estudando, nessa época eu comecei a ser contratado para fazer oficinas e palestras sobre o assunto, foi um salto importante pra mim, mas foi algo que me prejudicou um pouco. Fiquei com o ego inflado e acabei cometendo o erro de deixar de desenhar por um breve período de tempo.

 Estava satisfeito com os contratos que foram surgindo e com isso meu traço estacionou. É isso ai caro leitor seus desenhos não vão evoluir se você não desenhar e estudar todos os dias.

O que aconteceu depois disso é fácil de imaginar; os contratos acabaram e eu não pude mais dar aulas de desenho. Eu realmente gostei de dar aula, transmitir todas as informações que eu tinha conseguido durante todo esse tempo era algo muito bom. 

É e não foi ai que eu tive a ideia de criar o blog a ideia surgiu muito tempo depois.


Voltei a estudar, e dessa vez voltei com um olhar diferente do que eu tinha antes.

Antes eu estudava no automático e isso era um erro.  Passei a ter um olhar mais crítico sobre meus desenhos, a cada parte do processo parava e procurava um ponto onde poderia melhorar em algum lugar... e o traço não evoluía. Entrei em parafuso vendo que não podia melhorar meu traço foi quando comecei a expandir meus horizontes e fugi do mundo "Mangá" para entrar em outro universo.

Comecei a estudar outros grandes mestres como Andrew Loomis, Vilppu, Boris Vallejo, Benício, e por ai vai, nenhum deles era mangaka. Todos com um traço diferente daquele que eu estava acostumado a ver/estudar e isso foi um ponto chave para melhorar meu traço de uma maneira significativa.


Passei a estudar anatomia de uma forma mais completa, sai do básico das "oito cabeças", acabei aprendendo a posição dos ossos, o comportamento dos músculos e até mesmo como desenhar os órgãos internos, é eu fui mais hardcore nesse fase.

Tudo isso valeu a pena por mais que você estude sempre há algo novo para aprender, o ilustrador vai viver estudando para o resto da vida. Muitos profissionais tem o mesmo discurso que eu estou fazendo aqui, e infelizmente não há um processo milagroso na qual você vai dormir e no outro dia vai sair desenhando tudo aquilo que você quer.

 - E ai você ficou satisfeito com seu traço e parou de estudar?
 - De forma alguma meu amigo fã de Jaspion, pelo contrario.




Eu acabei percebendo que poderia aprender mais e então entrei na escola de artes onde tive contato com outros trabalhos e outros pensamentos, aprendi a trabalhar com outros materiais e consegui uma experiência enorme.


Estudei mais sobre art nouveau e arte clássica, e acabei descobrindo coisas sobre o mangá fora do traço mangá como por exemplo; A grande influência de Alphonse Mucha nos traços da CLAMP, o uso de trabalhos de Gustav Klimt na abertura de Elfen Lied, a influência da arquitetura europeia em vários mangás e entre muitas outras coisa.

E por fim cheguei a conclusão que lá do meu ponto de partida até o presente momento eu ainda tenho muito que aprender, apesar de agora eu ser um profissional que ganha a vida com desenhos eu nunca vou deixar de estudar.

E então chegamos ao terceiro ponto dessa matéria que fala sobre os altos e baixos de um sonho.



Terceira parte. 

 

O ponto sem retorno.


Depois de tanto tempo batendo a cabeça a gente pode pensar em desistir e largar tudo de lado, as vezes bate aquela maldita frase: 

"Ah! Pra que eu estou fazendo isso...?"

O caminho que você caro leitor decidiu seguir infelizmente não tem retorno, daqui pra frente você já sabe que vai ter que estudar e trabalhar muito para melhorar o seu traço, não importa se você paga caro por um curso ou se seu professor é o cara mais bem formado na face da Terra, se não partir de você a vontade de realmente querer melhorar nada vai mudar.

Você assim como eu começou a se interessar por desenhos pois você quer fazer uma historia, quer que ela seja vista por outras pessoas, ou talvez você só quer ter um traço muito bom e saber desenhar de tudo um pouco.

O caminho pela frente é um mar de rosas cheias de espinhos com declives e morros terríveis, não é um caminho fácil e muitos param no meio do caminho, não há problema em parar de vez em quando para retomar o fôlego, eu já parei varias vezes só não faça disso um hábito.



 Não tem problema reclamar, não somos maquinas nos temos nossos altos e baixos e nossos desenhos podem acompanhar essa montanha russa. 

Tentando responder o nosso auto questionamento:

"Ah! Pra que eu estou fazendo isso...?"

É simples: 

Porque eu gosto!




É porque me dá uma razão para existir. 



Porque me deixa satisfeito.



Porque eu quero ilustrar minhas historias.



E acima de tudo porque eu amo o que eu faço.

Quarta parte.


Começando de baixo pra cima.



Do meu ponto de partida até os meus desenhos de hoje em dia eu vejo o quanto eu evolui, se eu tivesse parado no primeiro momento baixo eu estaria preso ao meu ponto de partida.

E eu só superei os momentos baixos pois eu não neguei a existência deles.

Se sentir pra baixo e reclamar sobre a situação não é um problema como eu disse antes, eu não acho que ser 100% positivo é algo saudável, você tem sim que reclamar, se sentir pra baixo e passar pelo momento ruim.

Tirar proveito desses momentos ruins para melhorar sua arte é transformar algo negativo em algo positivo, esbravejar um pouco em cima de um papel ou dar uns "surtos psicológicos" também não vai fazer mal (só não vai matar alguém ou se machucar blz (^^)V ) 

A moda do momento é ser 100% positivo, ser uma pessoa alto astral que não reclama de nada e vive a vida onde tudo é as mil maravilhas, isso é ridículo.


Vai haver momentos em que você vai passar raiva por não conseguir acertar uma pose ou ângulo, vai ter momentos em que você vai ficar fulo da vida por ter errado com nanquim um desenho que estava quase pronto, vai haver N motivos para você ficar puto da vida e você tem o direito de ficar puto da vida!



Não aproveite apenas os momentos bons para desenhar, os momentos ruins também podem render bons desenhos, o mundo não é as mil maravilhas e retratar o que há de mais podre em nossa mente é melhor do que colocar ela em prática prejudicando alguém.

O ilustrador tem como dever primário retratar a vida de seu ponto de vista e transmitir essa informação para quem esta vendo o desenho.

Reprimir sentimentos não é bom.



Muitos artistas entram em depressão e param de desenhar pois ficam retendo esses sentimentos com medo de receber criticas ou de fugir do seu foco principal (e alguns querem ser os cara das "good vibes" sabe como é). O que vem depois disso é o travamento.

Travar é quando você não consegue ter ideias para desenhar, ou quando seus estudos não rendem nada, travar é simplesmente parar e não conseguir ir para nenhum lugar, você pode até entrar em modo automático e desenhar por obrigação para entregar um trabalho a tempo, mas o sentimento bom do ato de desenhar não vai estar com você e mais cedo ou mais tarde o que era prazeroso se torna um mártir. 

Quando você travar (e isso vai acontecer não se preocupe é normal) pegue uma folha um pouco de tinta e coloque pra fora os pensamentos que estão prejudicando seu trabalho.



Retirar essas ideias ruins da sua cabeça e colocar elas no papel é uma forma de arte, muitos artistas faziam isso, ...é faziam.

Van Gogh é um bom exemplo disso, Picasso entre outros. Antes os artistas queriam colocar seus "demônios" para fora e expressar aquilo que estava perturbando suas ideias, não é o que fazemos hoje em dia.

O que todos procuram hoje em dia é a perfeição do traço, da sombra bem colocada, da luz bem feita, enfim aquele desenho mais perfeito. 

A perfeição não existe e tentar alcançar algo que não existe é perda de tempo.

Ficar preso nessa wave de "perfection art" só vai atrasar seus estudos, prejudicar seu desenvolvimento e por fim fazer você ficar frustrado ao ponto de desistir de desenhar.

Quinta parte


O poder de persistir.






Depois da tempestade de emoções que todos nos passamos vem a calmaria, sempre vem. Precisamos desse tempo para expor todos os sentimentos ruins para que haja um espaço para os sentimentos bons. 

E quando esses pensamentos bons voltarem seu traço vai estar renovado isso é uma lei natural.

Portanto o maior poder de ilustrador não é saber desenhar e sim saber continuar, persistir na busca de seu sonho. O bom ilustrador sabe que fases boas e ruins vão e voltam e sabe aproveitar bem as duas fases.

Parar por um tempo é bom, descansar a cabeça e as mãos, dar espaço para outras atividades e deixar de lado os desenhos por um breve período de tempo não é nenhum pecado mortal, todos fazem isso, todos tem que procurar novas fontes de inspiração.






 Mas persista. Não pare de desenhar por muito tempo, sempre que puder carregue seu sketch book e rabisque alguma coisa, torne a pratica de desenhar um habito prazeroso mesmo nos momentos ruins.

E pra finalizar.

Sexta e última parte.


O retorno.




 Todos tiram férias, e férias tem um tempo determinado para começar e acabar, as minhas férias acabaram, fiquei parado por um mês e voltei a desenhar logo no começo deste mês.


Não postei muitas coisas no blog ainda por falta de ideia, tempo há de sobra pois estou com poucos projetos em andamento e estou atendendo apenas uma empresa de jogos no momento.

Depois das férias precisamos voltar a trabalhar e manter nossos bons hábitos, estou estudando/desenhando/trabalhando.




Se você está cansado de desenhar, tire umas férias, vá descansar a cabeça e volte logo.

O caminho para realizar um sonho é grande demais e só focar na realização do mesmo é algo maçante, o melhor mesmo é aproveitar o caminho que estamos trilhando.

Então por hoje é tudo isso galera eu sei que não teve uma explicação sobre desenhos, mas espero que vocês tirem algum proveito deste texto.

Até mais ver.

E não se esqueça disso.

Você está vivendo seu sonho?

Share this

Related Posts

2 comentários

comentários
22 de agosto de 2015 20:48 delete

Olha,eu nem sei o que dizer sobre a sua postagem! simplesmente achei perfeita,e muito inspiradora, você me ajudou bastante <3 me deu forças!
Tenho a arte de desenhar como uma paixão, sempre estou treinando e procurando me aperfeiçoar nela.
Seu texto foi realmente edificante, kk parece que achei seu blog no momento certo, eu estava meio desanimada, pois sempre via os desenhos de outros artistas,e o quanto os mesmos eram perfeitos,e ficava triste,pois os meus não são como os deles... Mas você me mostrou que eu devo persistir e não desistir,que devo estar ciente dos altos e baixos que terão ao longo dessa "saga"
Tudo que tenho a dizer sobre esse texto maravilhoso,é um grande obrigado <3



PS: Amei sua evolução,e seus desenhos postados aqui! meus parabéns!!

Reply
avatar
23 de agosto de 2015 10:14 delete

Obrigado pelo comentário e fico feliz em ter te ajudado, não se preocupe a saga do ilustrador é bem complexa, o segredo é só continuar caminhando e principalmente aceitando o seu ritmo, eu espero ver um dia algum trabalho seu publicado.

Obrigado pelos elogios ^^

Até mais.

Reply
avatar

Lembre-se eu vou ler seu comentário, apenas pense antes de escrever.

Contato

ricardohaw@gmail.com

Latest Post

Creative Commons

Licença Creative Commons
O trabalho Como Desenhar-mangá de Ricardo Haw está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://comodesenhar-manga.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://comodesenhar-manga.blogspot.com.br/.